Somos uma Associação sem fins lucrativos constítuida por um grupo de pessoas com sonhos comuns.

Sonhos sempre temos, mas às vezes surpreendemo-nos com a generosidade da vida e das pessoas à nossa volta.

Assim, pela generosidade, é que começou a AMISAC.

Começámos como uma pequena Tribo que se juntou em volta dos principios da Permacultura e com vontade de apoiar,  co-produzindo uma horta comunitária que através de processos agro florestais tem vindo a transformar o ambiente da quinta que nos foi cedida e consequentemente obtendo mais vida que se tem vindo a reflectir directamente na abundância de alimentos frescos e naturais distribuídos quinzenalmente entre os participantes!


Construir e manter uma CSA (Comunidade que Sustenta a Agricultura) com o apoio dos co-produtores, membros da Tribo local da Terrugem foi a ideia do Pedro, um dos membros da Tribo local e co-fundador da associação. Surgiu assim o primeiro projeto ambiental da associação e que permitiu reunir os participantes locais e constituir a primeira Tribo local. Outros projetos ambientais têm vindo a surgir na tribo local da Terrugem, como por exemplo: As Hortelãs que se dedicam a plantar e secar ervas medicinais e aromáticas para distribuir pela comunidade de associados da AMISAC. A Raquel, também co-fundadora da asssociação, membro da Tribo Local da Terrugem e é a responsável por este projeto.

Uma das grandes motivações para o nascimento da nossa associaçao foi a construção e distribuição do projecto da TCI em Portugal, também ele da responsabilidade da Raquel e apoiado pela Tribo local da Terrugem por exemplo com a oferta de espaço para realização de algumas rodas. Este projeto de Terapia veio abrir a vertente da saúde Comunitária na nossa associação. É um projeto autónomo da Tribo Local mas em que a sua criadora é membro e consequentemente mais apoiada pelos outros participantes. A TCI ( Terapia Comunitária Integrativa) que a Raquel está a trazer para Portugal, depois de vários anos a se especializar e trabalhar com a terapia no Brasil, começou por apresentar uma primeira formação base (anual) e agora tem vindo a organizar rodas em vários locais, inclusivé na quinta cedida para a atuação da Tribo Local da Terrugem e também através da Internet ( Zoom após o inicio pandemia do Covid19).  O projeto da TCI em Portugal já conta com uma equipa de trabalho própria ( associados da AMISAC e formandos da primeira formação).

Outros projetos nas vertentes da saúde Ambiental e Comunitária são bem vindos e apoiados em vários níveis pela associação; Desde a faturação, o apoio na promoção,  cedência de espaços físicos para produção/prestação de serviços, cedência de espaços online (no nosso Mercado Online) e também o acesso ao Fundo perdido a que todos os associados se podem candidatar.

Os projetos podem ser de Prestação de serviços individuais, comunitários e produção/venda de produtos. Podem ainda ser considerados outros projetos estruturais para optimizar os beneficios para os membros da associação. Projetos estruturais já existentes são o Fundo Perdido, a Moeda Comunitária, o Cash-Back e a Bolsa de Trabalhos (apenas disponíveis para associados e no caso do último, apenas para membros da Tribo Local).

A AMISAC conta com um Mercado Online que visa reunir todos os associados de Norte a Sul do País e que permite a venda de produtos e serviços entre associados mas também que permite a venda de alguns  serviços ( formação de TCI por exemplo) para clientes que não sejam associados (os associados beneficiam de descontos). 

A AMISAC inclui novos associados de norte a sul de Portugal e permite que estes possam comprar e vender Serviços no Mercado Online e que façam bom uso do Fundo Perdido, da Moeda Comunitária e do Cash-Back a que todos têm acesso.

A associação apoia ainda a construção de Tribos Locais ( inscrição é feita por dois ou mais associados que co-habitem segundo os principios da Permacultura, no mesmo local e que queiram ceder esse local físico para a reunião dos associados de uma determinada zona/Região ). Para a constituição de uma Tribo Local é necessário que sejam implementados projetos de prestação de serviços ou produção de produtos que visem o serviço aos membros/associados locais, promovendo a sua reunião e construção de pontes. Podem ainda ser construídos projetos de actuação exterior ( como o caso da TCI Portugal apoiada pela Tribo Local da Terrugem). Tanto os projetos para servir a Tribo Local como os projetos exteriores ( desde que supervisionados pela gestão da Tribo Local) podem ser divulgados e vendidos no Mercado Online da associação ( podem servir apenas aos membros locais que preferem comprar online e aproveitar os vários beneficios ou podem servir a outros associados em outros locais/regiões ou ainda a clientes não associados que por exemplo queiram participar num workshop ou terapia). Para os projectos que visam servir a Tribo Local e que são listados e vendidos no Mercado Online, veja-se o exemplo da Tribo da Terrugem que vende a quota da CSA local , online e o Pedro vai entregar os cabazes nas suas casas ( nas zonas de LIsboa, Sintra, Cascais e Mafra). Podem existir até 3 Tribos Locais na mesma região e aconselhamos a que reuniem cerca de 20 membros locais. Também será da responsabilidade da Tribo Local conhecer os seus membros para lhes poder atribuir os apoios com o Fundo Perdido, os produtos cedidos por outros associados produtores locais e que são canalizados para associados em carência sócio económica e ainda supervisionar a Bolsa de Trabalhos local (promovendo a cedência de horas de trabalho pagas aos seus membros pelos produtores e membros locais)










Nesta fase ambos os projetos já pagam horas de trabalho aos seus gestores e também a outros associados inscritos na Bolsa de Trabalhos. Trabalhamos com um valor de remuneração fixa de 4€/Hora nos projetos da vertente Ambiental.